#garimpof508 Marta Ferreira

O projeto #garimpof508 é destinado à divulgação de trabalhos de artistas e fotógrafos de língua portuguesa.

Selecionaremos Instagrams para você conhecer e seguir, com uma breve entrevista para que todos possam saber um pouco mais de quem está por trás das obras. Essa semana garimpamos o trabalho da artista Marta Ferreira (@martanferreira)

1- Quem sou: 

Nasci junto ao mar, em Cascais, e emancipei-me rumando para terras montanhosas.

Designer de profissão, lecionei Artes e voltei a Lisboa para aprender, altura em que surgiu a oportunidade de entrar no atelier que integro desde 2004.

Design e fotografia misturam-se no meu percurso de vida. Aderi ao instagram em 2014 e, desde então, tenho marcado os meus registos por uma simplificação da narrativa visual. Pelo caminho surgiu a oportunidade de colaborar com marcas e entidades como a Fujifilm, Museu Berardo, Escada, Issey Miyake e Volkswagen.

Recebi o prémio de melhor mural na gala InstiesGerador 2018 e em 2019 voltei a subir ao palco eleita a melhor instagrammer de Portugal, prémio que abriu as portas à minha primeira exposição individual.

Como vou – Filtros e temáticas prediletas

Apreender o espaço arquitectónico e dar-lhe novos contornos narrativos é uma constante nos meus registos. Existem neles metáforas sobre a forma como habitamos e nos relacionamos com o mundo, como deixamos uma marca por onde passamos e como somos mínimos num mundo que tomamos como nosso.

Processed with VSCO with al1 preset

Para onde vou – Projetos e objetivos futuros

Não traço metas, 2020 será sempre marcado como o ano do aqui e agora, os planos foram atropelados pela voracidade dos dias. Continuarei a abraçar desafios e a avançar para o desconhecido.

Francisco Proner, Brasil [brazilian documental photography]

F​rancisco é um fotógrafo de​ ​20 anos​, curitibano, que ​atua no Rio de Janeiro​.
No ano de 2015 embarcou em uma expedição ao redor do mundo de carro, viajando por 3 continentes. Em 2016​, ​publicou sua história “Lagrimas Secas” na seção de artigos da National Geographic.​ Colabor​ou​ com as redes NINJA Media e “Jornalistas Livres” durante a cobertura de protestos e a crise política no Brasil. 

Em 2017, completou o curso de Dramaturgia e Redação Documental na Escola Internacional de Cinema e Televisão (EICTV)​,​ em Cuba. No mesmo ano, foi convidado para o programa de estudantes Canon e Magnum Photos durante o festival de fotojornalismo Visa Pour L’Image. 

Em 2018, durante a cobertura do processo envolvendo o ex-presidente Lula, Francisco viajou pelo Brasil seguindo os movimentos políticos, ganhando destaque após uma foto do dia da prisão de Lula. A foto foi publicada em vários meios de grande relevância internacional, entre os quais o New York Times, The Guardian, Le Monde e El País. 
No mesmo ano começou a desenvolver e organizar o projeto Anomia, trabalho de longo prazo ainda em andamento. Em 2019, Francisco concluiu o ensaio Sierra Maestra (desenvolvido desde 2017 em Havana, Cuba). 

Membro da agência FARPA.​ 


https://www.franciscoproner.com/
​Instagram: franciscoproner

Festival de Fotografia de Tiradentes 2020

O Festival de Fotografia de Tiradentes – Foto em Pauta chega à sua décima edição em 2020. Entre os dias 18 e 22 de março, a cidade será palco de diversas exposições, workshops, palestras, debates, leituras de portfólio, projeções de fotografias e atividades educativas voltadas para a comunidade local.

Reafirmando seu compromisso com a qualidade da programação, o Festival proporciona ao público ricas experiências e trocas com profissionais de renome nacional e internacional, cuja produção artística é representativa no cenário da fotografia brasileira.

Exposições confirmadas:

[O que os olhos alcançam – Cristiano Mascaro]

Curadoria: Rubens Fernandes Junior

Imagens da carreira do artista, atuante há 50 anos na cena fotográfica brasileira e internacional. A mostra é um recorte da exposição realizada no Sesc São Paulo em 2019.Cinzas do Norte

[Cinzas do Norte]

Curadoria: João Castilho e Pedro David

A exposição Cinzas do Norte é resultado de uma viagem curatorial realizada pelo projeto Foto em Pauta na estrada, passando por Belém, Manaus, Rio Branco e Porto Velho. 34 artistas tiveram trabalhos selecionados para a exposição coletiva:

Alberto Bitar (PA), Alberto César Araújo (AM), Alexandre Sequeira (PA), Andréa Bernardelli (AP), Beethoven Delano (RO), Bruno Kelly (AM), Coletivo Madeirista (RO), Danilo de S’Acre (AC), Dharcules Pinheiro (AC), Duda Santana (PA), Fabiano Carvalho (AC), Felipe Fernandes (AM), Hannah Lydia (AC), José Viana (PA), Joyce Nabiça (PA), Juliana Pesqueira (AM), Katja Hölldampf (PA), Marcela Bonfim (RO), Miguel Chikaoka (PA), Nayara Jinknss (PA), Nailana Thiely (PA), Natali Araújo (RO), Nico Ambrosio (AM), Paulo Desana (AM), Raio Verde (PA), Raphael Alves (AM), Renata Kelly da Silva (RO), Rodrigo José Correia (PA), Saulo de Sousa (RO), Suzane Oliveira (PA), Ubiratan Surui (RO), Ursula Bahia (PA) e Walda Marques (PA).

[Através do Olhar  |  Curadoria: Thaís Rocha]

A mostra reúne trabalhos das fotógrafas Aparecida Silva, Fernanda Dias, Thaís Alvarenga e Valda Nogueira. As autoras, oriundas da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, apresentam um olhar sobre seus territórios com registros sobre a paisagem urbana e os modos como os grupos se apropriam dos seus lugares criando suas próprias formas de sociabilidade e códigos de convivência, ao mesmo tempo em que circulam para documentar os saberes e práticas culturais e religiosas de comunidades tradicionais espalhadas pelo Brasil, valorizando a memória e as formas de resistência destes grupos.

[Beira mundo, o que se vê além dos olhos – Juliana Lima]

A exposição é um convite da fotógrafa Juliana Lima para uma reflexão de como estamos enxergando o mundo em que vivemos, e como estamos nos posicionando e nos expressando nele. A mostra também oferece um olhar antropológico e artístico sobre diversas culturas através das inúmeras viagens que a fotógrafa fez pelo mundo. São obras que expressam momentos, costumes e comportamentos de povos e habitats.

[Scott MacLeay: 40 Anos de Provocação]

Exposição retrospectiva das obras do artista canadense Scott MacLeay, cuja prática em novas mídias compreende fotografia, multimídia, vídeo e composição musical, abrange o período de 1979 a 2019. A exibição apresenta trabalhos analógicos em preto e branco e em cores, e inclui desde impressões dicromáticas que utilizam o processo “carvão” de Fresson, produzidas entre 1979 e 1988, e impressões “ink & scan”, a obras musicais dos anos 90, bem como trabalhos recentes em fotografia e vídeo voltados à arte performática interativa.

[Deslocamentos | Curadoria: Renato Negrão]

Fotógrafos: Andrea Angelo, Angela Barros, Cristina Pye, Eduardo Sandeville, Fernanda Fernandes, Giancarlo Ceccon, Malu Mesquita, Maximo Hernandez, Paulo Henrique Cruz , Pradip Mazumder, Ubiratan Surui, Ricardo Tokugawa, Sandra Carrillo, Sérgio Silveira, Socorro Monteiro e Vera Resende.

Desde que a fotografia surgiu, no século 19, o mundo passou a ser revelado pelas lentes dos fotógrafos. É comum a ideia de que a fotografia é um grande passaporte, uma espécie de convite para que os fotógrafos partam para lugares onde não iriam se não fosse para fotografar. O curador Renato Negrão convidou alguns profissionais para mostrar séries realizadas em viagens, nos mais diversos países.  “Deslocamentos” é sobre a experiência pessoal de cada um, o que escolheram mostrar de suas andanças pelo mundo.

Oficina de
História da Moda | 15/06

Data: sábado, 15 de junho de 2019
Horário: 10h às 13h

Nível de exigência: básico
Pré-requisitos: nenhum
Público-alvo: artistas, jornalistas, publicitários, cineastas e demais interessados na história e desenvolvimento da moda

A oficina de História da Moda aborda o desenvolvimento da indumentária ao longo de todo o século XX e o início do século XXI. O curso propõe um aprendizado de como a história influenciou a moda ao longo das décadas até chegarmos aos tempos atuais, estendendo-se desde a moda popular e o fast fashion às grandes marcas e grifes.

Professora

Carmem Martins cursa Comunicação na Universidade de Brasília e trabalha atualmente na Editora Confraria do Vento. Suas áreas de interesse permeiam a estética, artes e moda. Carmem também atua como diretora de arte e atualmente se dedica a pesquisar cultura visual na pós-modernidade.


Investimento

1º lote: R$170,00 (até o dia 08 de junho de 2019)
2º lote: R$200,00 (até a data de início do curso)

. Inicie o seu processo de matrícula clicando aqui.

Formas de pagamento

  • .À vista: dinheiro, transferência bancária
  • .Cartão de débito
  • .Cartão de crédito

. A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Acesse clicando aqui.

Residência artística f/508
em Pirenópolis | 31/08

Data: 31 de agosto a 7 de setembro de 2019
Público alvo: artistas, fotógrafos, estudantes, pesquisadores, iniciantes ou experientes, interessados na vivência.

Com 14 anos de experiência, o f/508 promove sua primeira residência artística: uma imersão focada em produção e trocas significativas. Estaremos vivendo e produzindo juntos durante 7 dias, na cidade de Pirenópolis: pequeno município do interior de Goiás, tombada como Patrimônio Nacional, que conserva seu aspecto interiorano, onírico e bucólico, cercada de morros e cachoeiras.

Será sugerido pelas orientadoras um horário de trabalho diário, além encontros recorrentes com todos os participantes: para apresentação de trabalhos prévios; o segundo para conversa sobre o andamento do projeto; e para a apresentação do(s) trabalho(s) desenvolvido(s).

Locação

Nossa imersão será na Casa do Charme, em Pirenópolis – Goiás. Uma locação a apenas 1km de distância da Igreja Matriz e de frente para uma reserva de 20.000 metros que abriga a nascente e vereda do Prata – afluente da margem esquerda do Rio das Almas (rio que passa pela cidade). A casa oferece camas confortáveis, ventilação, aconchego térmico, tranquilidade e uma vista incrível. Além de acesso privativo a Cachoeira do Lobo. Cada participante terá uma cama individual em quartos coletivos, além de toda a casa como ateliê coletivo (área externa e interna).

Linguagens

O programa convida artistas e pesquisadores que trabalhem dentre as seguintes linguagens: Fotografia, Artes visuais, Colagem, Escultura, Audiovisual, Performance, Arte digital e novas mídias.

O programa inclui

  • Hospedagem
  • Café da manhã e Chá da tarde
  • Orientação durante o horário de trabalho estabelecido
  • Transfer terrestre do Espaço f/508 para Pirenópolis (ida e volta)
  • Toalhas, lençóis, sabonete e papel higiênico
  • Acesso à cozinha, forno de pizza e churrasqueira com eletrodomésticos básicos para preparo de alimentos
  • Wifi

O programa não inclui

  • Passagens aéreas
  • Almoço e jantar
  • Seguro viagem
  • Materiais de trabalho (tintas, câmera fotográficas, dentre outros)

Orientadoras: Raisa Ramos e Monica Nassar

Raisa é mestra em Artes pela Universidade de Brasília (UnB), graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Interessa-se por aproximações entre arte, política e direitos humanos, e por debates sobre gênero, feminismo e questões raciais. Pesquisa pinturas, em especial naturezas-mortas, relacionando as produções artísticas às estruturas sociais e aos contextos políticos respectivos. Trabalha atualmente como gerente da Lei de Incentivo à Cultura do Distrito Federal, sendo responsável pelo relacionamento institucional, além de executar e acompanhar projetos do setor com foco em reforma, restauro e manutenção de patrimônio. Como jornalista, sempre atuou no campo cultural-artístico. Interessa-se por trabalhos que se dediquem à promoção, difusão e democratização de equipamentos e instituições de cultura, pensando formas de ampliar o acesso e construir uma sociedade mais igualitária culturalmente.

Monica graduou em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), em 2012. Durante seu ensino superior, deu início aos seus estudos de canto, dança e teatro na Escola de Teatro Musical de Brasilia, onde participou como atriz em diversas montagens musicais e permaneceu até 2012. Durante um ano sabático, em 2013, finalizou o Curso Profissionalizante de Fotografia, no Espaço f/508 de Fotografia, em Brasília. Em seguida, mudou-se para a cidade de São Paulo, onde começou a atuar como pesquisadora em produtoras audiovisuais, entre elas a Academia de Filmes, GOS Catala Filmes, Your Mama, Sentimental Filmes e outras. Atuou também como Diretora de Arte, realizando campanhas para agências como F.biz, NBS, Ogilvy e África. Cursou Cenografia na Escola São Paulo em 2014, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, que foi exposto na Quadrienal de Cenografia de Praga, em 2015, mesmo ano em que participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo, em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. Pós graduada em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produziu o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos, em geral.

Pirenópolis – Foto: Raquel Pellicano

Processo seletivo

As inscrições para a residência estão abertas de 22 de março até 15 de maio de 2019. O interessado deve enviar um e-mail para equipef508@gmail.com com as seguintes informações:
– Nome completo;
– Telefone de contato;
– Portfólio resumido com apenas 5 trabalhos (imagens, textos ou vídeos);
– Parágrafo com ideia do projeto a ser desenvolvido na residência (máximo de 800 caracteres).

O resultado com os 9 selecionados será divulgado no dia 30/05 e cada participante terá 10 dias corridos para efetuar sua inscrição. A segunda chamada será divulgada no dia 10/06.

Investimento

R$2200,00 em até 6x

Formas de pagamento

  • .À vista: dinheiro, cheque, transferência bancária [5% de desconto]
  • .Cartão de débito [3% de desconto]
  • .Cartão de crédito [presencial – valor integral em até 6x]

A realização do pagamento acarreta na aceitação do contrato. Consulte os termos.

Fotos da casa: Paulo Penna