Professores

Professores

Beatriz Chaves
Formada em comunicação social pela Universidade de Brasília, é uma entusiasta do universo criativo. Já trabalhou como produtora em centros culturais e eventos da cidade, foi Diretora de Whatever na Perestroika – uma escola livre de atividades criativas – e hoje é gerente do Espaço f/508. Vem se reconhecendo artista visual com uma produção focada em apropriação, colagem e intervenção urbana. Já participou de três exposições coletivas e uma residência artística. Participa de um coletivo brasiliense chamado Cincoagosto.

Camilla Rosa
Fotógrafa e sócia do Espaço f/508 de Cultura, com produções comerciais e autorais. Trabalha com a fotógrafa e artista Raquel Pellicano no comando do Estúdio f/508, coordenando a monitoria e a prática de retrato em estúdio. Tem 30 anos e atua em Brasília; comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino, gastronomia e tratamento de imagens. Atua também com fotografia de esportes.

Guilherme Tosetto 
É fotógrafo e pesquisador. Mestre em Multimeios pela Unicamp, especialista em Fotografia e graduado em Relações Públicas pela Universidade de Londrina, doutorando em Fotografia/Belas-Artes na Universidade de Lisboa e professor no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Atuou como fotojornalista e editor de imagens em veículos de comunicação. Foi curador das exposições Realidade e Ficções Fotográficas (2020) e A menor Imagem (2019), no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Territórios Íntimos na Galeria 78/80, em Lisboa (2016); Imagens Incendiárias na Galeria da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2015) e 140 caracteres no MAM-SP (2014).

Hanayrá Negreiros
É pesquisadora e educadora em Moda, História Cultural e Curadoria. Mestre em Ciência da Religião pela PUC – SP, e graduada em Negócios da Moda pela Universidade Anhembi Morumbi. Possui como principais focos de estudo, estéticas afro-brasileiras e africanas, que se manifestam através da indumentária, memórias coletivas e religiosidades.

Humberto Lemos
Fotógrafo fine art, Humberto Lemos tem foco na fotografia minimalista com influência oriental. Criou o conceito de Paisagens Imaginárias – atua como coordenador e professor no Espaço f/508 de Fotografia, em Lisboa. Fundou o Espaço f/508 de Cultura em Brasília, que, em 2020, completa 15 anos. Realizou a curadoria de diversas exposições e publicações virtuais, e desenvolveu projetos de inclusão social como o Retratando com Alma (2005), oficina fotográfica realizada com deficientes visuais, e o Libertas CAJE (2008), realizado com os internos da instituição. Foi professor da Secretaria de Cultura do Distrito Federal de 2005 a 2007, e ministrou a matéria Fotografia como suporte para a arte contemporânea, na Pós Graduação f/508.

Jô Gomes
Jornalista e especialista em Gestão de Políticas Públicas de Gênero e Raça pela Universidade de Brasília, Jô é pesquisadora de História Geral da África e Matriarcado Africano pelo Instituto Hoju (RJ) e pós-graduada em Dança e Consciência Corporal (Estácio). Dançarina especializada em estilos Afro (Danças Afro-brasileiras, Kuduro, Afro House, Dancehall, Azonto, Hip Hop, Funk e Passinho), atualmente mora em Portugal. Sua formação transdisciplinar lhe permite compreender a importância das artes e da mídia para a construção e desconstrução de estereótipos e preconceitos e fazer a interseccionalidade de corpo e intelectualidade negras, sejam elas africanas do continente ou da Diáspora.

Lorena Travassos
Lorena é doutorada em Ciências da Comunicação (NOVA, Lisboa), no ramo “Comunicação e Arte”, com especialidade em Fotografia. Mestre em Comunicação (UFPB, Brasil) e fotógrafa. Atualmente é professora de História e Técnicas Fotográficas na Universidade Lusófona, na licenciatura de Fotografia, e investigadora assistente no projeto Photo Impulse (financiado pela FCT-PTDC/COM-OUT/29608/2017). É investigadora integrada do ICNOVA e formadora em cursos livres de projetos fotográficos em Lisboa.

Mayã Fernandes
Mayã é doutoranda em Artes Visuais pela UnB (2019), mestra em Metafísica na linha de pesquisa Estética Antiga: Narrativa, Visualidade e Verdade, pela mesma Universidade (2018), com estágio de pesquisa na UBA (Buenos Aires/ARG) e graduada em Filosofia pela UnB (2016). Publicou vários artigos nas áreas de filosofia antiga, estética e ensino de filosofia. Investiga a teoria do belo em Plotino e sua relação com a arte moderna. É Membro do Projeto Das Deusas: gênero, arte e filosofia. 

Monica Nassar
Graduada em arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), cursou Cenografia na Escola São Paulo, onde produziu em coletivo o projeto ViroRio, exposto na Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, em 2015. Participou da equipe de pesquisa da exposição do multiartista Tadeu Jungle na Sala do Humano do Museu do Amanhã. Usou suas habilidades multidisciplinares para compor equipes nas mesas independentes da Mesa e Cadeira, trabalhando com os ciborgues Neil Harbisson e Moon Ribas na construção do WeTooth, o primeiro aparelho de comunicação intra-dental do mundo (contemplado no Guinness World Records 2020), em 2016 e com o fundados do Kickstarter, Perry Chen, na publicação do livro “A bridge to a bad star” sobre o desastre de da base espacial de Alcântara, no Maranhão. Completou uma pós graduação em Cenografia e Figurino, na Universidade Belas Artes de São Paulo, onde produziu o aplicativo Adelaide, para mapeamentos de roteiros e gestão de projetos criativos. Em 2019, participou pela segunda vez da Quadrienal de Praga de Cenografia e Performance, na temática “novas técnicas dentro da cenografia”.

Raisa Pina
Mestra em Artes pela Universidade de Brasília (UnB), graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Interessa-se por aproximações entre arte, política e direitos humanos, e por debates sobre gênero, feminismo e questões raciais. Pesquisa pinturas, em especial naturezas-mortas, relacionando as produções artísticas às estruturas sociais e aos contextos políticos respectivos. Trabalha atualmente como gerente da Lei de Incentivo à Cultura do Distrito Federal, sendo responsável pelo relacionamento institucional, além de executar e acompanhar projetos do setor com foco em reforma, restauro e manutenção de patrimônio. Como jornalista, sempre atuou no campo cultural-artístico. Interessa-se por trabalhos que se dediquem à promoção, difusão e democratização de equipamentos e instituições de cultura, pensando formas de ampliar o acesso e construir uma sociedade mais igualitária culturalmente.

Rafael Nascimento
Pernambucano, residente em Brasília há 10 anos. Seu trabalho autoral tem forte influência de fotógrafos clássicos e de artistas modernistas. Suas referências imagéticas também passam pela estética de diretores de cinema, como Alfred Hitchcock, Lars Von Trier e Andrei Tarkovsky. Atualmente, sua fotografia transita entre o documental e o poético.

Raquel Pellicano
Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade de Brasília (UnB), Raquel Pellicano é fotógrafa e artista visual, com produção autoral e experimentações em linguagem fotográfica. Comercialmente, é especializada em retratos, nu feminino e registros de viagens. Com 32 anos, é sócia do Espaço f/508 de fotografia, ministra cursos e oficinas e está à frente do estúdio fotográfico. Criou o programa do curso de pós graduação em Fotografia como Suporte para a Imaginação, que teve início em março de 2018. Assinou diversos editoriais de moda, com trabalhos publicados nas revistas Vogue Brasil, Trip, VIP e Playboy.

Ricardo Rodrigues 
É formado em comunicação social, nas habilitações de publicidade e jornalismo. Atuou como repórter de cultura, assessor de imprensa e produtor de conteúdo para meio digital. Em paralelo sempre produziu textos de ficção, os quais resolveu materializar no papel em 2016 com a criação da editora de autopublicação Experimentos Impressos. Desde então publicou mais de 50 títulos, entre zines e livros, além de outras peças gráficas.